quarta-feira, 27 de abril de 2011

Sonhos da minha alma


Suspiro o ar puro que penetra a minha alma, fechos os meus olhos e vejo a liberdade soltar além das minhas perspectivas, a brisa suave que contorna o meu rosto e abraça-me com ar gelado do vento, fez-me cair em profunda sonolência. Percebi que os meus sonhos tornam-se fantasias, navego pela imensidão do campo florido, do sol resplendoroso e o cântico dos pássaros que confortam os meus ouvidos, dando a vontade de correr sem rumo, sem preocupações com a lei da vida, mergulho profundamente em meu ser, sinto-me penetrar no mais fundo de minha alma, que torna-se um oceano cheio de coisas ocultas e surpreendentes que acabo ficando fascinado com tantos mistérios escondidos que acumulamos na jornada. 
Fiquei encantado com as folhagens das arvores e os frutos que produzem, os meus olhos se perdem com tanta perfeição da natureza, vejo o balançar das arvores, como dançassem para mim no ritmo do vento. O gosto das frutas é indescritível para mim, nunca tinha experimentado o lado doce da vida. O céu está tão límpido, que transmite a paz de espírito, aquieta a alma, mesmo estando aflita, ela sossega ao tom azulado. Tudo é tão maravilhoso, o barulho das águas e seu tom cristalizado penetram em meu ser e refrigera-me. Ao ver aquela água agachei-me na beira do riacho e vi que as marcas que os problemas estampavam em meu rosto não estavam lá, meu rosto esboça a satisfação e a motivação da felicidade. Nunca tinha tido a satisfação de ser livre, de ver a vida de um modo que não me apresentaram; Foi um prazer em ver o por do sol sua imponência demonstrada perante o dia, ao anoitece ele mostra sua reverencia as estrelas, dando a lua o seu momento de brilhar.
À noite, não sei com descrever, pois foge as palavras com tantas belezas, deitei-me em meio a um gramado muito bem podado e esverdeado, olhei para o céu e contemplei nitidez das estrelas, as mensagens ali descritas e desenhadas foram interpretadas pelas minhas inspirações, o barulho dos grilos e as luz que os vagas-lumes produziam irradiavam aquela noite esplendorosa; Naquele momento fechei os meus olhos, cai em um profundo sono e acordei para a realidade, realmente era tudo um sonho, somente mais um sonho. Olhei e vi que não estava no mesmo lugar da primeira vez, estava repousando em um jardim, vestido com uma roupa de linhos brancos e um arco-íris protegia-me. Levantei assustado, incompreendido, sem respostas. Sabia que não era um sonho, era uma realidade. Percebi que o lugar que estava, era parecido com o que havia passado em meu sonho. Olhei atentamente e havia na arvore esculpida uma mensagem dizendo: Bom dia; tomei a liberdade de entrar em seus sonhos, percebi que um deles me tocou, como se fosse um pedido de oração, deixo exatamente o seu coração como um jardim regado e cuidado. Espero que faça um lugar de encontro onde podemos nos encontrar e conversar intimamente. Ass: Do seu jardineiro que cuida de você. Realmente tudo era se passava de um sonho, mas percebi que a minha alma sonhou por mim.