segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Paixões Carnavalescas


 Se o meu coração pudesse falar, tenho a certeza de que ele falaria muito bem de ti minha querida paixão, fazendo os meus pés flutuarem ao toque do seu delicado beijo, que afoga minha razão, dilacerando meu peito e libertando minha alma. Estava pronta para entrar no vale da amargura, quando o tempo ao meu favor conspirou para mim flertando os nossos olhares. Salpicado foi o nosso primeiro beijo, virando a esquina, beijamos novamente, desta vez, ele foi avassalador, o encontro dos nossos corpos fez com que esquecesse a tempestade que passava em minha vida, minha orbita foi deslocada, tudo para que eu sentisse novamente apaixonada. Meu coração empedrado bateu tão forte que arrebentou o concreto que o cercava, começando a bombear as emoções que trazem a felicidade plena. Sabia que nada daquilo do que vivi era passageiro era tão real quanto o amor que tenho a dar.

  Em ternuras nos acariciamos na lua cheia, nossas almas dançavam valsas na harmônica paixão que nos levava a melodia do mar, fiquei encantada, naquela noite conseguimos troca confidencias e biografias de nossas vidas. Se o meu coração pudesse falar, falaria como é bom estar ao teu lado, desenhar uma capa de um livro, escrever para o nada, jogar a tristeza para o alto e ser feliz. Não sei expressar minha verdadeira vontade, é tão bom ficar confuso e confundi a infelicidade. Comprei um caderno de folhas brancas, para escrever um pouquinho de mim, apresentar o meu lado feio, os bonitos eu entregarei para ti, não quero afugentar minhas aventuras em você, pois faz esquecer-se do passado que não pertence a mim. A paz que sinto só encontrou nos seus braços carinhosos do chamego dos seus dedos entrelaçados nos meus. 

   Errar? Ou acertar? Não existem erros ou acertos na paixão, arrisquei para encontrar a felicidade, saindo da morada solitária para tentar construir um conto, quero levá-lo para aonde irei, das memórias que retrato, a sua vou pendurar em destaque, lembrar que fui feliz momentaneamente. Se o meu coração pudesse falar, cantaria uma bela canção, algo que marcasse nossos encontros, nossas loucuras ao tardo da noite. Que química! De todos os amantes que tive dos amados que me cercaram você superou minhas velhas paixões, laçou-me completamente deixando-me sem fala, anestesiado de tanto carinho que me destes. 

  Se meu coração pudesse falar, falaria como é bom está apaixonada, de vestir do carnaval a minha alma, de sambar na avenida da alegria, de cantar o nosso samba enredo, ser o abre alas da nossa historia, ficar encantado com os nossos corações transformando das mais belas alegorias. Se meu coração pudesse falar, como foi bom te encontrar no carnaval desta vida, toda euforia passa e acabou com confetes ao ar, não queria que tudo acabasse em folia, mas tornasse uma eterna fantasia. Tudo passou de passagem que vivenciam, ferindo meu coração, tornando prisioneiro da desilusão de amar alguém sem ao menos um adeus de satisfação.