quinta-feira, 7 de outubro de 2010

O despertar do sono!


O despertador do consciente toca. Ainda sonâmbulos, levantamos da cama, claro! Achamos que passa de uma cama, mas na realidade está afundando na lama! Uma sujeira tal, que não acreditamos estar neste lugar, mas, não estamos mais sonhando. O nosso consciente despertou e nos cobra uma forma imediata de sair deste lamaçal.
As perguntas logo vêm, porque estou aqui? O que fiz? A resposta é obvia, nossas atitudes revelam o nosso merecimento da moral. Começamos a gritar em busca de alguém que possa ajudar a sair desta situação, olhamos para os lados, não encontramos ninguém, olhamos para o outro, muito menos, o desespero começa a tomar conta e a lama suga nossa esperança sem dar tréguas. Naquele lugar sombrio, frio e penoso nos faz repensar sobre os valores que adquirimos em nossa jornada pela vida, os fantasmas do passado começam a surgir, alguns em formas de atitudes, outros em pensamentos, alguns se atrevem a nos tocar e outros ferem a nossa alma. Mas, contudo, vem à pergunta, será que isto é um sonho? É uma realidade? Vou acordar dele? Não sei, mas preciso de ajuda, percebemos que falta pouco tempo para que a lama nos tire o nosso fôlego, debatemos loucamente e não vimos ninguém ainda para nos socorrer. Mas não percebemos tudo em nossa volta, olhamos para a lama, e vimos que os nossos valores correm sobre a camada desta terra suja. Percebemos que foram a nossa ´´maneira de viver`` que fez a própria lama nos devorar para a morte.
Muitas vezes, o próprio Jesus, que nos acordar deste sono que nos acomoda, achamos que está tudo bem, a vida que levamos, os valores que adotamos, o nosso próprio ego, que alimenta nossa superficialidade de viver a vida. Acostumamos a viver na lama, que não percebemos que perdemos a fé a esperança e acima de tudo o amor. É no despertar do sono, que concluímos que precisamos de ajuda, de auxilio para nossa alma. No lamaçal, lembramos do bem que precisávamos fazer e não fazemos. Do amor gratuito que não semeamos, pensamos na individualidade de não estender a mão para o caído. Quando estamos na lama pensamos no que não nos falta em socorro, JESUS, o auxiliador presente, que nos aquieta em meio à tempestade, o nosso consciente infalível para correção do nosso espírito. Nele, está o socorro, para sairmos da lama que nos prende de sermos felizes e amáveis para conosco e para com os outros. É no despertar do sono que se encontra a oportunidade de sermos totalmente dependentes de Deus.